segunda-feira, 15 de setembro de 2008

QUESTÃO DE SEMÂNTICA

Na verdade é dos amigos que tenho medo.
É deles que espero o imprevisível,
onde tudo posso encontrar.

Já meu inimigos, são previsíveis,
deles é fácil determinar
de onde vem e o que irá rolar.

Dos meus amigos espero no claro ou no escuro.
Já meus inimigos, saem de trás da moita.

Sem meus amigos, não poderia,
diante de seus dedos, deixar de crescer.
Já com meus inimigos, fica fácil viver.

Junto com os meus amigos, bebo até cair.
Já com meus inimigos, nem uma
xícara de chá consigo beber.

É dos meus amigos que temo,
com os dois pés na frente.
Já dos meus inimigos, acredito,
com os dois pés atrás.

Um comentário:

Bianca De Vit Begrow disse...

Rodolfo!
Nem sei de qual das tuas poesias gostei mais! São palavras tão sinceras, tão vívidas e cheias de expressão, com as quais a gente se identifica. Adorei tomar conhecimento do que tu escreves! Se não te importas, coloquei teu blog entre os meus favoritos.
Agora essa "Questão de semântica" arrebentou!! Super bem bolada!
Também achei tudo de bom a "Mudança de Curso"... com essa idéia de a gente aceitar até o sul quando perde o norte... Super legal!
E humildemente relacionei "Havia um tempo" com um dos meus textos... "O lugar (temporário) das coisas", pois ambos falam de algo que não nos pertence mais, mas que fica guardado em algum lugar...
Puxa! Parabéns! Quero ler mais, mais, mais!!
Forte abraço!
Bianca